segunda-feira, 7 de abril de 2008

Jardim de Inverno


O vendaval fustiga as árvores que batem nas vidraças do jardim de inverno do senhor Caligari. Ele fuma erva, sorve líqüido. Uma deusa aquática, que ali está junto ao abajur, dirige-lhe a voz, de modo familiar, para lhe perguntar alguma coisa, algo banal que seja, mas, em verdade, para retê-lo consigo, e sentir a língua escamosa dele na sua pele branca.
Com os dedos hábeis e chuvosos o senhor Caligari ergue a saia da deusa e a violenta ali mesmo entre as plantas do jardim de inverno. “Que amor mais escuro, choram árvores da noite – galhos contra muros” – árvores que batem cada vez mais fortes na ampla janela envidraçada.
Antes de dobrar a esquina, ela voltou a cabeça, e, na forma do costume, disseram adeus com a mão.

Fernando José Karl
Foto de Angela Svoronou

3 comentários:

Marcelo Lopes - Ilustrador disse...

Galera do Pobres & nojentas...parabéns pelo blog! tá show!...mantenho um blog de sketchs...me visitem...um abraço de um leitor curitibano..hehehehe!

Escrivaninha disse...

Muito bom o texto, estou gostando muito do blog. Parabéns, Fernando!

Angela Svoronou disse...

Hi!

As I did a random search on google, I saw my picture on your blog! Wow, that was a big surprise! I m really glad you liked it...and as I dont speak portugese, hope you speak english! and I really like the title "jardim de Inverno" which I guess means "winter garden"