terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Felicidade azedinha

Por Míriam Santini de Abreu, jornalista

Quando eu era pequena,
adorava deitar sobre um travesseiro de trevos, fartos num
gramado perto de casa. Ali ficava, sob o azul céu da serra, mascando azedinhas
de cor roxa bem clarinha. O passarinho da foto bebericava água num condomínio de
Porto Alegre. Felicidade é ser passarinho. Felicidade possível é ficar sob o sol
mascando azedinha.






Um comentário:

Samuel disse...

Oi Mírian. A felicidade é mesmo isso. É como aquilo que Clarice Lispector descreve em "Felicidade Clandestina", sob uma árvore, uma adolescente folheia pela primeira vez "Reinações de Narizinho", de Monteiro Lobato. Um momemto breve, fugaz, regado de calidades. Bjs. Ah, o texto está em trabalho... breve notícias.