quinta-feira, 9 de julho de 2009

Luares e tempos



Fotos: Marcela Cornelli


Miriam Santini de Abreu

Vai fazer quase um ano que eu, Marcela, Pepe e George fizemos a Trilha do Saquinho, no sul da Ilha. Me dei conta da passagem do tempo na quarta-feira quando, à noite, estava no ônibus. Eu e a Ju colocávamos a conversa em dia quando me virei e flagrei a lua cheia, dourada como o sol, se desprendendo dos morros lá no Saco dos Limões. Dei um grito e assustei quem estava perto:
- Ai, meu Jesus, que beleza, que beleza! E não posso ter uma foto!
E um homem, solícito:
- Calma, quando o ônibus sair da ponte tu consegue!
E assim lembrei que, em setembro do ano passado, um dia antes do meu aniversário, a Marcela me convidou para ver a lua cheia despertar na praia. Foi um presente único. Já se vão quase doze meses... Onde foi parar o tempo? Tão rápido...
Envelhecemos. Mas me sinto imortal quando, a cada lua cheia, os meus olhos de José, o Belo, espelham o céu e fazem a profana, sagrada adoração em meio aos terebintos do deserto...

3 comentários:

marcela disse...

como andam nossas vidas ?...
não damos conta de tudo ...
que saudades das caminhadas em noites de lua cheia ...
beijos
ma

Anônimo disse...

É que andamos a fazer caminhos e isso é tão belo quanto ver a lua.. por todas estas coisas é que somos imortais...
beijos fofas...
elaine

Anônimo disse...

eternamente caminharemos juntas,nas noites de lua cheia,afinal somos ou não somos bruxas!!!??

ex-filósofa da pedra....srsrsrs