domingo, 26 de abril de 2009

Eu, O Idiota

Raul Fitipaldi - www.desacato.info

Eu, O Idiota, fui recarregar o cartão magnético do ônibus e me defrontei com uma nova infâmia: se quero comprar R$5,00 em passes não posso. Ou seja, se desejo aproveitar a diferença de R$2,70 para R2,10 para pagar-me um mísero cafezinho, não posso. Sou pobre, a caminho da exclusão pelo transporte privado de passageiros de Florianópolis. Se quero formar parte dos avantajados pelo cartão, tenho que recarregar no mínimo R$ 8,50. Quero ser incluído, nem sempre posso.
Eu, O Idiota, escutei na rádio que o preço do latão em Florianópolis apenas subiu em longo tempo um 9%. E inteirei-me de que a população não cresceu em Florianópolis, e mais, que a qualidade do serviço melhorou. Eu, O Idiota, não entendi.
Idiota, que é isso que eu sou, equivoquei-me em todos estes anos. Pois é, achei que em toda a cidade acontecia o que na minha rua. Minha rua se encheu de novos vizinhos, boa parte deles gaúchos e outros loiros com sotaque do oeste. Eles me contaram que vieram morar aqui porque a agricultura familiar acabou. E eu, Idiota acreditei. Eles estão de visita! Os 200 mil habitantes, que acrescentou Florianópolis, nos últimos quinze anos eram fruto da minha mente alterada. O que não compreendo é por que, se estão de passagem, os continuo vendo ir e vir nos latões que servem no Rio Vermelho. Caracas, temos apenas 200 mil habitantes, mas parece que fossem 450 mil!
Não sei somar nem multiplicar. A professora já dizia que eu era inadaptado e idiota. Por isso meus cálculos são falhos. Pareceu-me que quando no governo da Ângela Amin instalaram o Sistema de Transporte com Reserva de Mercado Incluída (STRMI), eu perdia (e perco) mais uma hora por dia; meia para ir e meia para voltar ao centro – baldeação mediante. Eu multipliquei uma hora por cada dia útil e me deu que perdia 5 horas por semana, logo, 20 horas por mês. Que se trabalhasse aos sábados perderia 24 horas, ou seja, lhe daria de presente ao Sistema de Transporte com Reserva de Mercado Incluída, um dia de vida por mês, 12 dias de vida por ano. Mas, errei, dizem os senhores da Secretaria de Transporte Urbano de Florianópolis, que o serviço melhorou. Certamente me equivoco quando penso que em terreno público se montou um terminal de ônibus, e que as empresas ficaram com ele, e que o que pagam por cada ônibus para utilizá-lo vai pro bolso deles, e quem paga sou eu, O Idiota, que não enxerga uma pinóia.
Não tenho do que me queixar: se tenho R$ 8,50, ou carro para poluir e engarrafar a cidade, ou do contrário, paciência eterna para ver como minha coluna se destrói a cada dia em homenagem ao STRMI dos donos da minha vida, do meu tempo, da nossa cidade, que me explicam com ator global incluído que eu não entendo nada disto, tudo bem! Ainda tenho trabalho, quero mais o que? Se faltar-me serviço não precisarei de ônibus, com a recessão não vou conseguir emprego à minha idade...
Porém, eu sofro de Idiotice Teimosa. Daí que acredito piamente que estão me mentindo. Porque de fato lhes dou de presente 20 horas da minha vida por mês. Porque não posso usar a diferença entre o ladrão R$2,70 e o caríssimo R$2,10, e então pago R$ 5,40 para ir vir; e o salário mínimo brasileiro por hora me paga algo parecido a R$ 3,15. Portanto, quase preciso doar ao patrão, e à empresa de ônibus, duas horas de trabalho por dia para me manter no MERCADO. Dôo-lhes então 10 horas por semana, e ao fim do mês, 40 horas. 440 HORAS DE TRABALHO ANUAL DE GRAÇA (descontei um mês de férias). O SETUF e o STRMI poderiam me mandar uma cartinha de agradecimento por ser um escravo bem comportado, né?
Essa Idiotice que me persegue desde a infância me permite pensar que me estão preparando para um novo aumento do preço do ônibus, como já tinha suposto em algum artigo anterior. A tal estultice que me adorna me convence de que isso é bom para os revendedores de carros, para os postos de gasolina, para os vendedores de acessórios para carros, e lógico, para os que ganham essas maravilhosas concessões, geralmente passada a meia-noite, e só cada dez anos, tem que fazer o cirquinho da licitação pública, e às vezes nem isso. A cidade seguirá se poluindo, o engarrafamento justificará mais elevados de cimento, mais sinaleiras, mais zonas azuis, mais e mais lucro para as simpáticas novas e velhas oligarquias da cidade e seus empregados políticos que ocupam a Câmara de Vereadores e o Paço Municipal.
No entanto, não me leve a sério. É que hoje peguei 8 ônibus, todos a 2,70 porque esqueci o cartão que me inclui na sociedade dos menos pobres dos pobres; como o ônibus quebrou perto da subida do morro de Ingleses (carro novo, desses com três faróis de cada lado na traseira); como chovia pra xuxu; como tenho que sair daqui a 6 horas de novo para voltar a dar de presente uma hora de viagem e duas horas de trabalho; como não enxergo que a cidade está inchada de gente, de carros, de motos, poluindo-se velozmente; como confundo com vizinhos os entes galegos do fim da rua, que na verdade não moram aqui, segundo deixa entrever o anúncio do SETUF; como está tudo legal segundo as empresas de transporte que se autofiscalizam para o bem comum ... Eu Sofro Porque Sou Um Inadaptado aos benefícios que Ângela, Dario e quem vier atrás estão me oferecendo e lhe faço perder tempo lendo estas bobagens. Definitivamente sou O Idiota. E você, é quem?

Um comentário:

Luis Pequeno disse...

Parabéns pela lucidez de sua análise.