quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Galo de metal

Por Míriam Santini de Abreu – jornalista

Manhãzinha, nove horas, e escuto o canto de um galo. Estava no Hotel Aliança, em Rio do Sul (SC), na ala que mais gosto, a que dá para os fundos do rio Itajaí-Açu. Ouço espantada: o galo está rouco! Imaginei um macho idoso que, por mérito, escapou da panela. Na semana seguinte, descubro o mistério ao atravessar, num táxi, a ponte do Canta Galo, no bairro de mesmo nome: o bicho é de metal retorcido e passa os dias empoleirado no alto da ponte. Canta nas horas cheias graças a uma gravação feita por moradores. Dias desses atravessei a ponte a pé, o rio cheio depois de dois dias de chuva, e aguardei o cócórócó rouquinho. Dois homens me viram e comentaram, entre risos:- Esperando o galo cantar, hein?!E o bicho, mudo. Eram 10h30...

2 comentários:

Deise disse...

Olá, Míriam!
Obrigada, por divulgar o "Galo de Metal" (bairro: Canta Galo), Rio do Sul- SC.
Para as pessoas que vêem de outra cidade é um "atrativo" interessante.

Parabéns, Pobres & Nojentas pela revista, agora, on line!
Abraços,
Deise Bilinski
Jornalista: Rio do Sul - SC

Anônimo disse...

hahahahaha
Tinha que ser você mesmo!!!
bjo Míriam.

Glênio Abella
Joinville-SC